27 de dezembro de 2005

Whose Line is it Anyway


Apresentado por Drew Carey ("The Drew Carey Show"), o programa baseia-se na improvisação de cenas, jogos e músicas na frente de um auditório, que contribui com sugestões e temas.


É genuinamente improvisado por isso tudo pode acontecer.

É o melhor programa de comédia que vi até hoje... Whose Line is it Anyway?

A melhor prenda


Oficialmente sócia do F.C. Porto...finalmente!!!

Eu sabia...o Pai Natal é mesmo azul;)

23 de dezembro de 2005

15 de dezembro de 2005

OPKS - Organização Portuguesa de Karaté Shito-Ryu


Finalmente a OPKS criou um blog para divulgar o karaté e todos os eventos das nossas escolas assim como o nosso estilo e informações pertinentes.

Fico à espera que passem todos por lá, não só karatekas mas também todas as pessoas que queiram aprender um pouco mais sobre esta arte marcial, e que talvez um dia possam também fazer parte da nossa equipa.

(o link encontra-se na secção dos blogs)

11 de dezembro de 2005

Novo Visual

O Natal está a chegar e como tal decidi enfeitar o meu blog, dar-lhe outra cor, outra vida.
Espero que gostem do novo visual do Código de Barras.

9 de dezembro de 2005

Jeff Hanson


Losing a Year

Oh, what i could say to you again. I´ve never really understood what you need from me. So I´ll light the way from a trail. So you can see all of this and know I was there. I never meant a single word that I said. Sometimes I just look around for something else. Somehow I just lost a year, but we all make our promises. I´m not the same as how you might remember. Now I see how this is turning out. And I´m sure because everyone still tells me what I want, and what I am not, to make it stop. Oh, when morning comes who will be the simple one? I can see how all your plans are turning out. Somehow I just lost a year. But we still make our promises. I´m not the same as how you might remember. Now I see how this is turning out. And I´m sure because everyone still tells me what I’ve got , to make it stop.

6 de dezembro de 2005

Príncipe


As crianças são mesmo fantásticas.
Numa sessão de acompanhamento psico-educacional, com uma criança de 4 anos (V), estava a realizar um jogo que consistia no seguinte:

Eu: Vais ter que completar aquilo que eu te vou dizer...está bem?

V: sim...

Eu: Um rapaz é grande, um bébé é....

V: ...pequeno.

Eu: Muito bem. Estás preparada para a segunda?

V: Sim...

Eu: A mãe é uma mulher, o pai é um....

V: mmmm...PÍNCIPE!!!!!

Não foi possível resistir a uma gargalhada com tanta doçura.