29 de abril de 2008

No mesmo espaço tudo o que for possível

No mesmo espaço tudo o que for possível
Hoje sou um quarto cinzento e encontro o resto da porta para fora. Não há nada de mal no cinzento, mas há muito para além disso. E é isso que quero: o cinzento e tudo o resto. No mesmo espaço tudo o que for possível. Eu, tu e o que conseguirmos ser um para o outro. A porta aberta, a costa arenosa. O que conseguirmos fazer um pelo outro. Atravessarmos as pontes de cada um nos dias de tempestade, aquecermo-nos. Para ficarmos mais quentes que quentes, daquele calor que o termómetro não mede, aquele calor imensurável ainda que capaz de se sentir. Haverá sempre muito que encontrar fora, mas lá dentro bastará o teu sorriso para não haver apenas o cinzento.



[O blogue tomado de assalto mais uma vez, desculpa. Gosto tudo de ti.]

3 comentários:

Gomez disse...

Apenas uma opinião: coloca a mesa em frente à entrada da sala e perpendicular à janela (assim a comida não arrefece); não te esqueças do aparador; muda a "sala de estar" para a janela; na cozinha sugeria colocar a mesa perpendicular à parede (0,60x0,80m, parece que tem largura suficiente), para tomares o pequeno-almoço de frente para o teu mais que tudo!!
Acima de tudo que sejas muito feliz na tua nova casa!!!!

rozzazz disse...

E a lavandaria?

Mojo Pin disse...

Devo dizer que esta casa não é a nossa:) Mas mal tenha luz são convidados a ir lá primoscas e rosas:)

Quanto ao blog tomado de assalto, é todo teu:) Sabe bem chegar aqui e ver algo teu*